Colégio Online
Instituições Vicentinas
(45) 3521-6700
(45) 98817-3501

Leituras em CONEXÃO - Dia do/a Professor/a

Fale Conosco



Dia do Professor é comemorado no Brasil no dia 15 de outubro. A data celebra a importância dos/as profissionais da educação que auxiliam na formação de diversas pessoas.
 
No Brasil, a criação do Dia do Professor está associada com a Lei de 15 de outubro de 1827, assinado por D. Pedro I. Nesse documento, ficou estabelecido que em todas as cidades do país seriam construídas escolas primárias de ensino elementar. Na época, elas eram chamadas de “Escolas de Primeiras Letras”. Contudo, a comemoração começou somente 120 anos depois.
 
Foi, portanto, em 1947 que se formou a “Comissão Pró-oficialização do Dia do Professor” transformando o projeto na Lei Estadual nº 174. A primeira comemoração ocorreu na cidade de São Paulo. Ela foi encabeçada pelo educador Salomão Becker, que ficou conhecido por suas célebres frases: “Professor é profissão, educador é vocação”, e também “Em Educação, não avançar já é retroceder.”
 
Assim, nos anos seguintes, as escolas da capital paulista adotaram a ideia de que esse dia fosse dedicado aos profissionais da educação. Apesar disso, o Dia do Professor no Brasil somente foi oficializado e declarado feriado escolar pelo Decreto Federal nº 52.682 de 14 de outubro de 1963, firmado pelo Presidente da República João Goulart.
 
No dia 05 de outubro é realizada a comemoração internacional do Dia Mundial do Professor. Essa data foi instituída em 1994 pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). O intuito era destacar a importância do professor, baseado nas prioridades estratégicas de elevar a qualidade docente e preencher a falta de professores no mundo.
 

Para celebrar essa data especial, confira algumas dicas de leitura:
 
PEDAGOGIA VICENTINA: concepções, compromissos e práticas – Projeto Político Pedagógico e Pastoral Escolar – Volume 1 - Flávio Fernando de Souza, Raquel de Fátima Colet e Rogério Ferraz de Andrade. 1.ed. – ICQ – A Pedagogia Vicentina apresenta nosso #jeitoVicentinoDeEducar a partir de concepções, compromissos e práticas. A obra é a síntese dos elementos teóricos e metodológicos que constituem nosso projeto educativo vicentino na Província de Curitiba.
 
Como ensinar bem: a crianças e adolescentes de hoje: teoria e prática na sala de aula. Leo Fraiman – Editora FTD - Tão importante quanto uma sólida formação teórica, é o desenvolvimento de competências e atitudes que façam a diferença na mediação docente. Este livro, de abrangência teórica e prática, foi elaborado especialmente para os educadores de todas as áreas do conhecimento. Os temas apresentados envolvem o autoconhecimento do educador; como auxiliar os educandos a desenvolver sua autonomia e maturidade; a importância do educador na formação do projeto de vida; a comunicação em sala de aula; a educação da geração digital; construção de valores da autoestima, da resiliência e do otimismo; reflexões e orientações para formação de uma aliança entre a escola e a família; entre outros temas de extrema importância para a vida docente. A escola que queremos, acreditamos e merecemos depende de nós. Agora é a nossa vez. Educar bem é uma atitude ética, um compromisso de aproximação da melhor versão de nós mesmos, pois é a partir daí que tudo acontece!
 
Educação: a solução está no afeto – Gabriel Chalita – Editora Gente - Gabriel Chalita lança aqui um novo olhar sobre a educação, um olhar amoroso, pois para ele o ato de educar só se dá com afeto, com respeito à história de cada educando e com cumplicidade entre o professor e o aluno. Com um conteúdo amplo, o livro tem capítulos dedicados à família, à juventude, à velhice, ao trabalho e à liberdade. Além disso, conta experiências vividas em escolas, discute o papel de educadores, pais e alunos, analisa as leis que regem a educação no país. Nesse painel abrangente, levanta numerosas questões que podem auxiliar o educador a exercer com mais carinho e competência a sua missão.
Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Ramon M. Cosenza – Editora Artimed - O cérebro é responsável pela forma como processamos as informações, armazenamos o conhecimento e selecionamos nosso comportamento, dessa forma compreender seu funcionamento, seu potencial e as melhores estratégias de favorecer seu pleno desenvolvimento é foco principal de estudo e trabalho tanto dos profissionais da saúde mental como da educação.
 
Mediação da aprendizagem: contribuições de Feuerstein e de Vygotsky. Marcos Meier – Edição do autor - Este livro procura apresentar a mediação da aprendizagem entre professor e aluno. Pretende fundamentar o processo de mediar através de contribuições de Feuerstein e de Vygotsky.
 
O monge e o executivo: uma história sobre a essência da liderança. James C. Hunter – Editora Sextante - Você está convidado a juntar-se a um grupo que durante uma semana vai estudar com um dos maiores especialistas em liderança dos Estados Unidos. Leonard Hoffman, um famoso empresário que abandonou sua brilhante carreira para se tornar monge em um mosteiro beneditino, é o personagem central desta envolvente história criada por James C. Hunter para ensinar de forma clara e agradável os princípios fundamentais dos verdadeiros líderes. Se você tem dificuldade em fazer com que sua equipe dê o melhor de si no trabalho e gostaria de se relacionar melhor com sua família e seus amigos, vai encontrar neste livro personagens, ideias e discussões que vão abrir um novo horizonte em sua forma de lidar com os outros. É impossível ler esse livro sem sair transformado. O monge e o executivo é, sobretudo, uma lição sobre como se tornar uma pessoa melhor.
 
 
Valor presente: a estranha capacidade de vivermos um dia de cada vez. Pedro Salomão – Editora Best Business - Valor presente é um convite para construir um futuro feliz e tranquilo, sem pressa, vivendo o presente.
 
Ensaio sobre a cegueira. José Saramago – Editora Companhia das Letras - Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma "treva branca" que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas. O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar "a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam". José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: "uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos".
 
A hora da essência. Pe. Fábio de Melo – Editora Planeta - Sempre é possível rever e mudar “De vez em quando a vida nos surpreende em absoluto desgoverno. Tudo fora, alheio, exilado. Mas há outros momentos em que nos surpreende em absoluta concordância. Tudo dentro, consciente e reconciliado. A hora da essência talvez seja isso. O turno da vida em que a liturgia das horas nos põe num caminho só: o que nos faz chegar a nós mesmos”.  A hora da essência relata a conversa de duas mulheres, uma delas em vias de morrer. Através da conversa entre as duas, Padre Fábio de Melo propõe uma análise sobre a vida, o que podemos fazer para viver melhor e como é viver a essência - não deixando para cuidar da vida só às vésperas de morrer. Uma das mulheres descobre um câncer incurável, é hospitalizada e, no hospital, conhece uma enfermeira com quem conversa sobre a sua vida. Ainda antes de morrer, essa mesma mulher toma atitudes para recuperar o que havia deixado para trás ou perdido.
 
 Becos da Memória – Conceição Evaristo. Editora Pallas - Becos da memória é um dos mais importantes romances memorialistas da literatura contemporânea brasileira. A autora traduz, a partir de seus muitos personagens, a complexidade humana e os sentimentos profundos dos que enfrentam cotidianamente o desamparo, o preconceito, a fome e a miséria; dos que a cada dia têm a vida por um fio. Sem perder o lirismo e a delicadeza, a autora discute, como poucos, questões profundas da sociedade brasileira.
 
Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie. Editora Companhia das Letras.

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Principal autora nigeriana de sua geração e uma das mais destacadas da cena literária internacional, Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, Americanah é, além de seu romance mais arrebatador, um épico contemporâneo.
 
O poder do hábito: Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios. Charles Duhigg. Editora Objetiva - Charles Duhigg, repórter investigativo do New York Times, mostra que a chave para o sucesso é entender como os hábitos funcionam - e como podemos transformá-los. Durante os últimos dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. Parou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela mudaram de maneira fundamental. Publicitários da Procter & Gamble observaram vídeos de pessoas fazendo a cama. Tentavam desesperadamente descobrir como vender um novo produto chamado Febreze, que estava prestes a se tornar um dos maiores fracassos na história da empresa. De repente, um deles detecta um padrão quase imperceptível e, com uma sutil mudança na campanha publicitária, Febreze começa a vender um bilhão de dólares por anos. Um diretor executivo pouco conhecido assume uma das maiores empresas norte-americanas. Seu primeiro passo é atacar um único padrão entre os funcionários - a maneira como lidam com a segurança no ambiente de trabalho -, e logo a empresa começa a ter o melhor desempenho no índice Dow Jones. O que todas essas pessoas têm em comum? Conseguiram ter sucesso focando em padrões que moldam cada aspecto de nossas vidas. Tiveram êxito transformando hábitos. Com perspicácia e habilidade, Charles Duhigg apresenta um novo entendimento da natureza humana e seu potencial para a transformação.
 
Minha história: Michele Obama. Michele Obama – Editora Objetiva. Com uma vida repleta de realizações significativas, Michelle Obama se consolidou como uma das mulheres mais icônicas e cativantes de nosso tempo. Como primeira-dama dos Estados Unidos — a primeira afro-americana a ocupar essa posição —, ela ajudou a criar a mais acolhedora e inclusiva Casa Branca da história. Ao mesmo tempo, se posicionou como uma poderosa porta-voz das mulheres e meninas nos Estados Unidos e ao redor do mundo, mudando drasticamente a forma como as famílias levam suas vidas em busca de um modelo mais saudável e ativo, e se posicionando ao lado de seu marido durante os anos em que Obama presidiu os Estados Unidos em alguns dos momentos mais angustiantes da história do país. Ao longo do caminho, ela nos ensinou alguns passos de dança, arrasou no Carpool Karaoke e criou duas filhas responsáveis e centradas, apesar do impiedoso olhar da mídia. Em suas memórias, um trabalho de profunda reflexão e com uma narrativa envolvente, Michelle Obama convida os leitores a conhecer seu mundo, recontando as experiências que a moldaram — da infância na região de South Side, em Chicago, e os seus anos como executiva tentando equilibrar as demandas da maternidade e do trabalho, ao período em que passou no endereço mais famoso do mundo. Com honestidade e uma inteligência aguçada, ela descreve seus triunfos e suas decepções, tanto públicas quanto privadas, e conta toda a sua história, conforme a viveu — em suas próprias palavras e em seus próprios termos. Reconfortante, sábio e revelador, Minha história traz um relato íntimo e singular, de uma mulher com alma e consistência que desafiou constantemente as expectativas — e cuja história nos inspira a fazer o mesmo.
 
 
Feliz do/a Professor/a!

Boa leitura!
 
Voltar